Siga-me

domingo, 10 de novembro de 2013

Desatento sonhador



Desatento sonhador
(Nova Friburgo/09/03/95)
de  MArcelo GEsta

Nesta manhã está fresco o ar
Com vigor o sol brilha
Quero ficar para meditar
Ou seguir pela mata numa trilha
A relva está cheirosa
A cachoeira, cristalina
A neblina, maravilhosa
É uma manhã divina...
-Mas, espere um pouco!
-Isto me deixou rouco.
-Quantas contas para pagar,
Tenho que levar os filhos ao colégio
E ir correndo trabalhar
Acabou meu sortilégio?
Olha só! O que é isso?
Recadinhos sobre a mesa, como emblemas
Como vim parar no meio disso?
Os dizeres são todos problemas...
O discurso do patrão
Todo cheira muito a alho
O colega é um chatão
Como vim parar neste trabalho?...
...Ah...horário de descanso...
Depois do almoço vou caminhar...
Na pracinha ficarei manso
Por as árvores observar...
Olha! Ali um colibri!
Que sossego há aqui
No paraíso eu me senti...
Á tranqüilidade me rendi...
-Mas, espere um pouco!
-Isto me deixou rouco!
Me atrasei novamente
Que direi lá no serviço?
Um “sermão” eu certamente
Ouvirei por causa disto
As horas custam a passar
Há muito para resolver
No horário não vai dar
Pra sair para o lazer....
-Oh, não! Estou atrasado para o jantar...
Minha esposa e as crianças
Todas vão se irritar
As dificuldades foram tantas...
-Ah...que bom estar em casa.
Verei as estrelas na varanda
Á nostalgia darei asa
Enquanto minha família me encanta...
Ao romantismo dou vazão
Em meus braços eu a beijo
E faço-lhe uma declaração
Conduzindo-a ao leito...
-Que Manhã mais linda
Nunca vi uma igual
Quero ficar na berlinda
Absorvendo o que é vital...
Sentir o cheiro da serra
E apreciar o cume das montanhas
Como é linda esta terra
Faz parte das minhas entranhas...
-Mas, espere um pouco!
-Isto me deixou rouco.
...É, dias melhores virão
Se não vierem dias,
Noites haverão
E se não houver noites
Madrugadas existirão.