Siga-me

domingo, 1 de dezembro de 2013

Projeto Criacional-Colonizatório de DEUS



Projeto Criacional-Colonizatório de DEUS
Por Marcelo Gesta

 DEFININDO OS TERMOS CHAVE:

    Projeto: concepção, ideação, imaginação, plano;
     Criar: trazer à existência o que não existe, fazer de material inexistente;
     Colonizar: alastrar-se, propagar-se;
     Projeto criacional-colonizatório de DEUS: desígnio divino em formar o primeiro ser humano, do barro do Éden e de Seu sopro, bem como a primeira sociedade humana, a partir do mesmo, e cultivar daí a primeira civilização. Portanto, projeto criacional-colonizatório de DEUS, não se refere a atitudes predatórias ou invasoras, mas, sim, atitude de criar e povoar o planeta terra com seres humanos - a coroa da criação.

     DEUS, na criação tinha um projeto colonizatório, o qual deu certo: os seres humanos foram feitos a imagem e semelhança de DEUS, e, assim, deveriam se multiplicar e ter o comando e a direção do ambiente ao qual foram e estavam inseridos. A Bíblia diz:
 
Também disse Deus: Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança; tenha ele domínio sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus, sobre os animais domésticos, sobre toda a terra e sobre todos os répteis que rastejam pela terra. Gênesis 1:26 – ARA.

Então, formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra e lhe soprou nas narinas o fôlego de vida, e o homem passou a ser alma vivente. Gênesis 2:7 – ARA.

Criou Deus, pois, o homem à sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou. E Deus os abençoou e lhes disse: Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra. Gênesis 1:27, 28 – ARA.


Desta forma, os seres humanos foram colonizadores de um ambiente o qual eles também eram feitos – do pó da terra. Aqui há algo paradoxal, pois se pondera que colônia é um grupo de indivíduos que vão se estabelecer e trabalhar em uma região que não é a sua propriamente, todavia, os mesmos não eram estranhos lá, foram feitos de lá – “aquele ambiente foi uma de suas matérias primas, o barro” – e causados para lá, eram produto daquele lugar e da própria sociedade que lá existia, isto é, foram feitos – também – do sopro de DEUS, e DEUS diz: façamos.

Aquele ambiente, o Éden, havia sido criado com todas as condições de receber e hospedar seu ilustre e novo habitante, portanto o ser humano não era um intruso ali, e, por conseguinte, tal ambiente não estaria completo nem organizado o bastante se não estivesse aí o mesmo, e, este, deveria cultivá-lo e colonizá-lo. DEUS deu ao ser humano a honra de participar do cultivo deste ambiente original e ideal, assim, curiosamente neste projeto colonizatório divinal, o ser humano não iria transferir-se para outro local, pois aquele era o seu local primordial, tudo ali se encaixava e se completava, DEUS o localizou, ou seja, foi localizado e/ou situado ali, e todo o desenvolver cultural humano começa nesse ambiente peculiar chamado Éden, uma vez que, a partir daí, é que DEUS igualmente dá ao ser humano a capacidade de fazer cultura[1], e cultivar sua própria civilização: ‘Sede fecundos e multiplicai-vos’, disse DEUS.

 

CONTINUA, AGUARDE.






[1] Vide artigo ‘DEUS deu ao ser humano a capacidade de fazer cultura, por Marcelo Gesta’.