Siga-me

sábado, 22 de março de 2014

Uma crítica contra o Racionalismo Moderno e contra a indiferença de si mesmo, diante de um descalabro cometido na frente de si mesmo


Uma crítica contra o Racionalismo Moderno e contra a indiferença de si mesmo, diante de um descalabro cometido na frente de si mesmo

João Paulo II, na Fide et Ratio, nos traz a breve reflexão:  “Despontaram, não só em alguns filósofos, mas no homem contemporâneo em geral, atitudes de desconfiança generalizada quanto aos grandes recursos cognitivos do ser humano. Com falsa modéstia, contemplam-se as verdades parciais e provisórias, deixando de tentar pôr as perguntas radicais sobre o sentido e o fundamento último da vida humana, pessoal e social”. João Paulo II, na, 5.
 
Esta concatenação me leva, em outras palavras, a outra reflexão: por que será que muitos de nós – Igreja de Cristo – os quais deveriam se formadores de opinião adequada no meio ambiente em que vivemos, fazemos tanta “vista grossa” para tudo aquilo que se faz detestável aos olhos de nosso DEUS, e mesmo ao ser humano, e ainda algumas vezes se deixa praticar coisas tão horrendas? Será uma incapacidade de percepção sobre os desatinos da humanidade? Será que é por baixa auto-estima, no sentido de não se ver como alguém que pode mudar seu ambiente, ainda que seja “um trabalho de formiguinha”?
Talvez seria até plausível, nossa acomodação diante dos disparates que temos diante de nós praticados por outros, que não sejam Igreja de Cristo, por exemplo, lá no nosso ambiente de trabalho, de estudo, de ludismo, de vizinhança, da família. Porém, nem mesmo em todos os ambientes nos quais eu conviva e interaja, deverei ficar calado diante da injustiça ou de qualquer outra atitude pecaminosa que esteja sendo praticado diante de mim. Certamente, destaco aqui, toda uma questão de sabedoria e plausibilidade com a Bíblia e o amor de DEUS para tratar de tais fenômenos mundanos, que devem ser observadas, pois não se deve sair por aí fazendo justiça com as próprias mãos.
A Bíblia diz que DEUS não faz vista grossa ao pecado humano, senão vejamos o que diz o apóstolo Paulo:

Eu não me envergonho do evangelho, pois ele é o poder de Deus para salvar todos os que creem, primeiro os judeus e também os não-judeus. Pois o evangelho mostra como é que Deus nos aceita: é por meio da fé, do começo ao fim. Como dizem as Escrituras Sagradas: “Viverá aquele que, por meio da fé, é aceito por Deus.”
Do céu Deus revela a sua ira contra todos os pecados e todas as maldades das pessoas que, por meio das suas más ações, não deixam que os outros conheçam a verdade a respeito de Deus. Deus castiga essas pessoas porque o que se pode conhecer a respeito de Deus está bem claro para elas, pois foi o próprio Deus que lhes mostrou isso. ROMANOS 1: 16 Á 19 – NTLH.

Mas voltando a pergunta, por que “alguns fazem vista grossa” diante de absurdos que são praticados na nossa frente, por qualquer um que seja e onde quer que se esteja? Como não denunciar um abuso visível? Como ficar calado diante de um despautério social, trabalhista, politico, administrativo, financeiro, sexual, ou mesmo dentro de uma igreja? Certamente, deve ser por covardia, ou por também ser outro mau-caráter, ou quem sabe por “puxa-saquismo”, ou por “estar com o rabo-preso”, ou por puro indiferentismo, ou sabe-se lá por psicopatia, e quem sabe por “não ser cabeça, mas sim, por ser rabo”?!
O Teólogo Católico  Alfonso Garcia Rúbio, em seu livro Unidade na Pluralidade, pág. 46, nos diz que: “A descrença em relação à razão humana unida ao pessimismo face ás possibilidades do ser humano na sociedade e no cosmos levaram a uma acentuada desconfiança diante dos compromissos sociais e políticos. E assim, muitos acham pura perda de tempo e de energia esse tipo de compromissos. […] E acresce que se encontra também muito generalizada a desconfiança em relação às instituições”.
Qual deve ser o papel do povo de DEUS diante deste mundo vil? Temos alguns exemplos de como o povo de DEUS deve agir diante dos absurdos desprezíveis praticados neste mundo vil:

1Escutem, líderes e autoridades de Israel! Vocês deviam praticar a justiça 2e, no entanto, odeiam o bem e amam o mal. Vocês tiram a pele do meu povo e arrancam a carne dos seus ossos. 3Vocês devoram o meu povo: arrancam a pele, quebram os ossos e cortam a carne em pedaços, como se faz com a carne que vai ser cozinhada. 4Virá o dia em que vocês clamarão ao Senhor Deus, mas ele não os atenderá; vocês fazem o que é mau, e por isso ele não ouvirá as suas orações.
5Os profetas enganam o povo. Para os que lhes pagam eles prometem paz, mas ameaçam com guerra os que não lhes dão nada. O Senhor diz a esses profetas:
6– Em vez de visões vocês terão a escuridão, e em vez de revelações haverá somente trevas para vocês. A luz do dia vai desaparecer para vocês, e a escuridão da noite cairá sobre vocês. 7Os adivinhos e os que dizem o que vai acontecer no futuro passarão vergonha. Não receberão resposta de Deus e por isso ficarão desmoralizados.
8Mas, quanto a mim, o Espírito do Senhor me dá poder, amor pela justiça e coragem para condenar os pecados e as maldades do povo de Israel. 9Escutem, líderes e autoridades de Israel! Vocês odeiam o que é bom e torcem a justiça. 10Vocês estão construindo Jerusalém, a cidade santa, sobre um alicerce de injustiças e de crimes de sangue. 11As autoridades de Jerusalém aceitam dinheiro para torcer a justiça, os sacerdotes cobram para ensinar a Lei, e os profetas exigem pagamento para adivinhar o futuro. Mas mesmo assim eles afirmam que recebem ajuda de Deus. Eles dizem: “Nenhum mal vai acontecer porque o Senhor está do nosso lado.” MIQUÉIAS 3 – NTLH.

Os fenômenos naturais nos mostram que diante do escuro, é que a luz brilha mais, logo, se diante da escuridão sua luz não brilha, é por você ser trevas também.

Vocês são o sal para a humanidade; mas, se o sal perde o gosto, deixa de ser sal e não serve para mais nada. É jogado fora e pisado pelas pessoas que passam.
Vocês são a luz para o mundo. Não se pode esconder uma cidade construída sobre um monte. Ninguém acende uma lamparina para colocá-la debaixo de um cesto. Pelo contrário, ela é colocada no lugar próprio para que ilumine todos os que estão na casa. Assim também a luz de vocês deve brilhar para que os outros vejam as coisas boas que vocês fazem e louvem o Pai de vocês, que está no céu. MATEUS 5: 13 á 16 – NTLH.
 
Somente quando a luz de um servo de DEUS brilha é que as trevas recuam, caso contrário, se você faz “vista grossa” diante do absurdo e do pecado cometido diante de ti e ficas calado, tu és conivente com a mesma atrocidade. Quiçá outro servo de DEUS possa estar perto de ti para que quando você cair, o mesmo te ajude a levantar-se. O célebre cristão e pré-reformador John Hus (1369-1415) disse certa vez: “Ficarei eu em silêncio? DEUS não permita! Ai de mim se me calar. É melhor morrer do que não me opor diante desta impiedade, o que me faria participante da culpa e do inferno”.

Que DEUS nos dê amor, sabedoria, coragem e a estratégia necessária para não só lutarmos contra nossos pecados, mas, também, ajudar outros a desviarem-se deles, a conselhá-los a não praticarem mais o mal, e se necessário for, denunciarmos, de acordo com a vontade de DEUS, os males desta sociedade em que vivemos.

Att.

Pastor Marcelo Gesta.